Projects – 2008/2010

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Silvio Romero de Lemos Meira em 29/05/2013.

Descrição: Apesar das estratégias de reuso e conceitos de engenharia de software não serem novas e apresentarem grande motivação para aplicação prática, ainda não são inseridos no dia-a-dia das empresas de forma ampla no mercado. Iniciativas de certificação de desenvolvimento de software como o MPS.Br já incluem hoje referências explícitas a necessidade de aplicação de práticas de reuso para que a empresa seja certificada. No entanto não existe hoje no mercado brasileiro iniciativas em escala para aumentar o número de profissionais qualificados em reuso de software. Este projeto visa implantar uma programa de residência em reuso de software para formação complementar (e especializada) a cursos de graduação em Computação e áreas afins, para alunos do último ano de curso assim como para reciclar profissionais de mercado em estratégias de aumentro de produtividade através do reuso de software..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.

Integrantes: Alexandre Alvaro – Integrante / Eduardo Santana Almeida – Integrante / Eduardo Cruz Reis Santos – Integrante / Manoel Gomes de Mendonça Neto – Integrante / MEIRA, S – Coordenador / Garcia, Vinicius C. – Integrante / Luanna Lopes Lobato – Integrante.


Descrição: As atividades colaborativas têm sido parte do cotidiano das pessoas desde o passado remoto. Porém, a Web 2.0 e as redes sociais online tem motivado diversas áreas do conhecimento a concentrarem seus esforços no desenvolvimento de ambientes que estimulem ainda mais o trabalho colaborativo. Dentre as diversas áreas pode-se destacar a de aprendizagem eletrônica (e-learning) que tem emergido como uma solução não só para atender o ensino a distância como também dar suporte a diversas atividades presenciais. A aprendizagem colaborativa online pode ser vista uma estratégia de ensino-aprendizagem que permite que os atores envolvidos (alunos e docentes) possam determinar soluções para problemas e compartilhar percepções e entendimentos de forma que estes alicercem a construção do conhecimento. A utilização da Web como plataforma para busca de conteúdos e materiais tem sido amplamente utilizada nos últimos tempos. A interface disponível para busca e os mecanismos de atualização destas interfaces são primordiais para a motivação do aluno em interagir com um ambiente. A Web 2.0 surge como um conceito cujo objetivo é fazer com que o ambiente online se torne mais dinâmico e que os usuários colaborem para a organização do conteúdo. Aplicações classificadas como Web 2.0 atendem um conjunto de princípios que a caracterizam. Dentre estes princípios pode-se destacar o uso da inteligência coletiva (o usuário agora passa a fazer parte do processo de elaboração do conteúdo) e a experiência rica do usuário(oferecer a sensibilidade, recursos e funcionalidades que se aproximam das aplicações desktop). O objetivo deste projeto de pesquisa é investigar e produzir mecanismos e ferramentas que auxiliem o desenvolvimento e a utilização de ambientes de aprendizagem eletrônica na Web 2.0. Dentre as linhas de interesse pode-se destacar: as redes sociais, desenvolvimento de interfaces com o usuário e desenvolvimento para dispositivos móveis. Este projeto possui intersecções com os projetos: “Des.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) .

Integrantes: Luciana Aparecida Martinez Zaina – Coordenador / Fabio L Verdi – Integrante / Katti Faceli – Integrante / Alexandre Alvaro – Integrante / Guilherme Martins Torres – Integrante / Anderson Roque do Amaral – Integrante / Renan Lordello de Aguiar – Integrante.

Número de produções C, T & A: 9 / Número de orientações: 8

Descrição: A diversidade de dispositivos disponíveis atualmente nos faz perceber uma tendência cada vez maior de que a miniaturização e a ubiqüidade já fazem parte da nossa vida cotidiana. A Internet, quando concebida há quase 40 anos atrás, não imaginava prover a conectividade global das mais diferenciadas ilhas de aplicações e conteúdos espalhados ao redor do planeta. Estas ilhas de aplicações não somente acessam informações através da Internet mas também estão adquirindo vida própria tornando a comunicação e interação cada vez mais localizada. Neste sentido, o termo comunicação colaborativa surge para representar as mais variadas formas de interação realizadas através dos dispositivos hoje disponíveis (PDAs, laptops, smartphones, etc.) em um escopo local. Exemplos deste tipo de cenário incluem a interação dos dispositivos para troca de conteúdos (músicas, filmes, arquivos, etc.), comunicação par-a-par e comunicação oportunística (redes de sensores e veiculares). Este projeto tem como objetivo investigar a comunicação colaborativa e entender os aspectos de interoperabilidade dos dispositivos levando-se em conta as diferentes aplicações e seu uso em cenários reais. Pretende-se estudar as diferentes tecnologias de comunicação incluindo Bluetooth e Wi-Fi e como tais tecnologias podem ser usadas para implementação de situações colaborativas. O projeto também tem como meta realizar experimentos reais no campus da Universidade Federal de São Carlos sediada em Sorocaba, estimulando os alunos do curso de Ciência da Computação a investirem na linha de pesquisa relacionada com comunicação colaborativa..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: Fabio Luciano Verdi – Coordenador / Luciana Zaina – Integrante / Yeda Venturini – Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Auxílio financeiro.

Descrição: A adaptação de sistemas de software de acordo com as necessidades de interação do tem sido explorado nos últimos anos. Além da interação do usuário outro ponto fundamental está relacionado ao ambiente em que o usuário está inserido no momento da interação. A diversidade e heterogeneidade de dispositivos caracterizam a computação ubíqua. A computação ubíqua surgiu como o paradigma da Computação que tem por finalidade disponibilizar recursos e serviços a qualquer hora e em qualquer lugar, o que traz alguns desafios para a área de desenvolvimento de software. Dentre os desafios está permitir que o comportamento de aplicação seja configurável de acordo com o contexto em que a aplicação está inserida. É fundamental prover a área de desenvolvimento de software com mecanismos e ferramentas que permitam às aplicações trabalharem com ciência de contexto, dando flexibilidade para planejamento das variações que a aplicação pode ter durante sua execução. As aplicações ubíquas integram um tipo de domínio onde é possível adotar as abordagens de reúso de software, pois apresentam a necessidade de adaptação das aplicações de acordo com o contexto de execução, fomentando a necessidade se criar mecanismos que permitam reutilizar os artefatos para diferentes contextos. O objetivo deste projeto de pesquisa é produzir mecanismos e ferramentas que auxiliem o desenvolvimento de software que possam atender a computação ubíqua..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) .

Integrantes: Luciana Aparecida Martinez Zaina – Coordenador / Yeda Regina Venturine – Integrante / Fabio L Verdi – Integrante / José Fernando Rodrigues Júnior – Integrante / Katti Faceli – Integrante / Guilherme Augusto da Cruz Baldo – Integrante / Gabriel Silva Sorrentino – Integrante / Cauê Roberto Paiva Moresi – Integrante / Diego Heitzmann Quintale – Integrante / Alexandre Alvaro – Integrante / Ricardo Roberto Leme – Integrante / Ricardo Pezzotti Schefer – Integrante.

Número de produções C, T & A: 11 / Número de orientações: 10

Descrição: A diversidade de dispositivos disponíveis atualmente nos faz perceber uma tendência cada vez maior de que a miniaturização e a ubiqüidade já fazem parte da nossa vida cotidiana. A Internet, quando concebida há quase 40 anos atrás, não imaginava prover a conectividade global das mais diferenciadas ilhas de aplicações e conteúdos espalhados ao redor do planeta. Estas ilhas de aplicações não somente acessam informações através da Internet mas também estão adquirindo vida própria tornando a comunicação e interação cada vez mais localizada. Neste sentido, o termo comunicação colaborativa surge para representar as mais variadas formas de interação realizadas através dos dispositivos hoje disponíveis (PDAs, laptops, smartphones, etc.) em um escopo local. Exemplos deste tipo de cenário incluem a interação dos dispositivos para troca de conteúdos (músicas, filmes, arquivos, etc.), comunicação par-a-par e comunicação oportunística (redes de sensores e veiculares). Este projeto tem como objetivo investigar a comunicação colaborativa e entender os aspectos de interoperabilidade dos dispositivos levando-se em conta as diferentes aplicações e seu uso em cenários reais. Pretende-se estudar as diferentes tecnologias de comunicação incluindo Bluetooth e Wi-Fi e como tais tecnologias podem ser usadas para implementação de situações colaborativas. O projeto também tem como meta realizar experimentos reais no campus da Universidade Federal de São Carlos sediada em Sorocaba, estimulando os alunos do curso de Ciência da Computação a investirem na linha de pesquisa relacionada com comunicação colaborativa. Processo Num. 501192/2009-3.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .

Integrantes: Luciana Aparecida Martinez Zaina – Integrante / Yeda Regina Venturine – Integrante / Fabio L Verdi – Coordenador / Gabriel Silva Sorrentino – Integrante / Tiago Pasqualini da Silva – Integrante.

Número de produções C, T & A: 3

Descrição: Este projeto tem como objetivo estudar novas arquiteturas para Internet considerando os aspectos sobre o protocolo IP e suas limitações, separação identificador/localizador e roteamento flat. O projeto também contempla a investigação de redes de conteúdo, abordagens publish/subscribe, cloud computing e data centers. Neste último, pretende-se investigar o dimensionamento da quantidade de servidores (que podem chegar a 100 mil em um único data center) e a infraestrutura de conexão mais apropriada para data centers. Neste sentido, técnicas de Bloom filters e o modelo OpenFlow serão aplicados para realização de roteamento e balanceamento de carga em data centers..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) Doutorado: (2) .

Integrantes: Fabio Luciano Verdi – Integrante / Maurício Magalhães – Coordenador / Rafael Pasquini – Integrante / Christian Esteve – Integrante.
Financiador(es): Ericsson Telecomunicações – Matriz – Auxílio financeiro.